Microrregião de Curitiba - Campo Largo - CRQ Palmital dos Pretos

CRQ COMUNIDADE REMANESCENTE QUILOMBOLA PALMITAL DOS PRETOS

Comunidade Palmital dos PretosO município integra a Região Metropolitana de Curitiba. A comunidade está situada a 83 quilômetros da sede do município, na fronteira deste com o município de Ponta Grossa.

Hortêncio Ferreira Pinto, um dos mais idosos moradores, relata que a comunidade é formada por famílias negras que vieram de várias regiões do Estado na busca de liberdade e de terras para se estabelecerem. Brasílio e Librano José de Deus são originários da Comunidade Remanescente de Quilombo do Sutil, em Ponta Grossa; a família Ferreira Pinto, veio da Fazenda Santa Cruz, hoje Comunidade Remanescente Santa Comunidade Palmital dos PretosCruz e que integraria o Sutil, também em Ponta Grossa; outras famílias migraram das comunidades de Pugas e Bolo Grande, no Município de Palmeiras. Benedita Gonçalves, outra das pessoas mais antigas da comunidade, diz que sua tataravô, negra, foi “apanhada no mato” – quem sabe se escravizada fugitiva, índia ou mestiça - e que a família está há mais ou menos 200 anos sobre a terra.  Relata ainda que hoje os membros da comunidade são todos aparentados, de uma mesma família. Informa ainda que os proprietários ao redor, foram chegando depois, ocupando e formando as suas fazendas.

Comunidade Palmital dos PretosO nome da comunidade traz referência a grande quantidade de palmito existente nas terras dos negros. Elenita Aparecida Machado e Lima relata que a comunidade é festeira e gosta de dançar: a rancheira, a valsa e o “dois em um”, uma dança com dois passos para trás e um para frente. Nas danças as mulheres usam saias rodadas com anáguas armadas.

São Sebastião, Santo Antonio, São Braz, São João, São Pedro, São Gonçalo e Bom Jesus são os santos festejados. As festas de junho, em louvor aos santos do mês, são animadas com fogueiras e bingos. 
Recomendar esta página via e-mail: